Pastafrola receita Argentina, história:

há alguns dias minha companheira Paulina decidiu enriquecer com esta grande receita este humilde receitário, adoro apresentar-lhe receitas de outras gastronomias do mundo, isso sim… receitas muito familiares como este caso, que levante a mão o / La [email protected] que não tenha comido um pedaço de pastafrola com mate…

A Pastafrola é uma das tortas mais típicas da Argentina. É muito comum comprá-lo em uma padaria para levar para casa de amigos ou familiares e compartilhá-lo na hora do mate.

Há aqueles que dizem que sua origem é Suíça, uma versão crioula do Linzer Torte. A realidade é que é esteticamente parecida com este bolo, mas só isso. Outra versão diz que é de origem italiana. O que é certo é que a palavra Pastafrola vem da Pasta Frolla, a maneira italiana de chamar a massa de brisa.

Nota: o recheio mais tradicional é este, o de marmelo, mas pode ser feito praticamente com qualquer doce consistente: de batata-doce (batata-doce), de goiaba, doce de leite…

Pastafrola, ingredientes:

para a massa:

150g. de manteiga à temperatura ambiente ( manteiga )

150g. de açúcar

2 ovos

300g. de farinha

1 colher de chá de fermento em pó ( fermento em pó, 1 saqueta )

raspas de 1 limão (apenas a parte amarela, não rale o branco por que amargo )

1 colher de chá de essência de baunilha líquida.

para enchimento:

600 gr. de marmelo Doce

2 colheres de chá. de porto ou outro licor (opcional)

Água (quantidade necessária)

Pastafrola, preparação:

Bata a manteiga (manteiga) à temperatura ambiente com o açúcar até ficar bem unida.Ir adicionando os ovos a um. Bata para que ele se junte bem.Incorporar a essência de baunilha e as raspas de limão.Adicionar a farinha peneirada com o fermento em pó. A partir deste momento já não trabalhamos com batedor, mas com espátula. Junte-se gradualmente até ficar uma massa lisa e úmida.Colocar a massa entre dois filmes e esticar com vara de tamanho maior do que o molde que vamos usar. Fazer isso tem dois objetivos: o primeiro é esticar a massa sem adicionar mais farinha, de modo que fique bem úmida. Quando esta massa tem farinha extra, torna-se difícil. O segundo é fazer com que o frio chegue a toda parte da massa, resfriando-A.Leve a massa para geladeira (você pode dobrar) mínimo de meia hora. Se for mais, melhor.Coloque a massa sobre a tarteira e prenda bem as bordas. Se algum buraco foi feito, o que é comum, nada acontece, pode ser coberto com um pedaço de massa. Reservar massa para decoração.Colocar o doce cortado em uma panela em fogo médio com o licor e meio copo de água. Vá mexendo até desfazer o doce. Há que adicionar água aos poucos, para que não passe. Quanto dependerá do doce que usamos. Um doce deve permanecer sem grumos para que fique liso ao colocá-lo na tarteira. Mas não deve ficar muito líquido.Coloque o doce sobre a massa.Decoração: adicionar mais farinha à massa que sobrou para poder manipulá-la (como é a decoração, não é mais tão importante que seja úmida). Esticá-lo na bancada enfarinhada e cortar tiras de 1cm. aprox. Coloque as tiras sobre o doce formando uma treliça, prenda-as nas bordas. cuidado! as tiras são muito fracas, então é melhor fazer um rolo (como uma espiral), fixar uma borda e desenrolá-las até a outra borda.Levar a pastafrola ao forno de 180ºC por aproximadamente 40 minutos ou até que pareça dourada a massa. Não é necessário que o molde seja emantecado, ele sai perfeitamente.IMPORTANTE: é fundamental que o bolo esfrie completamente antes de cortá-lo, mas o doce ficará sem consistência e cairá… um pouco de paciência!Apresentação: a maneira tradicional de cortá-la é em triângulos, se é uma pastafrola alta como a que eu fiz. Também em pequenos quadrados, se for uma pastafrola fina e maior.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.